Profissional

Colorimetria capilar: entenda essa tendência!

colorimetria-capilar-entenda-essa-tendencia.jpeg

Qualquer procedimento que envolva cabelos exige cuidados específicos — especialmente técnicas mais invasivas, como a coloração, por exemplo, que é uma tendência e está em alta. Um desses cuidados é a colorimetria capilar.

Para não errar na hora de analisar as mechas e as possíveis cores, é preciso expandir o conhecimento sobre o assunto, pois um erro poderá causar sérios danos ao cabelo da cliente e à reputação do profissional.

Além disso, para se tornar uma pessoa bem capacitada a aplicar tinturas e descolorantes é necessário estudar e pesquisar muito. Essa atitude aumentará o seu conhecimento e lhe tornará um profissional bem mais requisitado, devido à sua experiência.

Para te ajudar nesse quesito trouxemos alguns elementos fundamentais sobre a colorimetria capilar.

O que é?

colorimetria-capilar

Colorimetria é o estudo das cores em qualquer área que envolva coloração. No caso da capilar, é o estudo para que o profissional possua um conhecimento profundo dos tipos de cores e do seu comportamento perante a natureza capilar.

Assim, em um primeiro momento é preciso conhecer a relação das cores entre si — cores primárias, secundárias, terciárias, quentes, frias e neutras, além dos tons e nuances de cada uma.

Cores primárias

cores-primarias

Azul, vermelho e amarelo são as cores consideradas primárias (ou fundamentais). A partir desses tons surgem todos os outros. Quando misturadas dão origem ao marrom.

Cores secundárias

cores-secundarias

São os resultados da mistura de duas das cores primárias em partes iguais. Também são conhecidas como cores complementares.

  • Amarelo com azul: verde
  • Amarelo com vermelho: laranja

  • Azul com vermelho: roxo

Cores terciárias

cores-terciarias

São as cores decorrentes da mistura de qualquer cor e em qualquer quantidade, independentemente de serem primárias ou secundárias.

O resultado só é conhecido por meio de testes ou por quem domina a colorimetria e a matemática das cores, porque as opções são muitas.

Cores quentes

cores-quentes

A vibração da cor também é importante. As cores quentes se baseiam no vermelho, laranja e amarelo, além dos reflexos originados a partir delas. A impressão é que acontece um aumento das formas, porque tendem a absorver mais luminosidade.

Cores frias

cores-frias

As bases dessas cores são azul, verde, violeta e cinza. A impressão é que as formas são reduzidas, porque, ao contrário das cores quentes, tendem a refletir a luminosidade.

Cores neutras

cores-neutras

É o resultado das misturas de cores frias e quentes. São mais utilizadas para produzir fundos e são menos vibrantes.

Como funciona?

Basicamente a colorimetria capilar se baseia na Estrela de Oswald, que é uma tabela de cores que exemplifica quais se anulam, se opõe e se misturam, além de mostrar as cores básicas e todas as nuances de cada uma ou da união de duas ou mais.

estrela-de-oswald

Entendendo esses detalhes, é possível entender a necessidade de misturas para melhorar o resultado. Em muitos casos, ao realizar a coloração será preciso fazer um ajuste entre as cores para que os tons não fiquem desconexos e não causem um efeito indesejado no cabelo da cliente.

Quais são os cuidados?

cuidados com a colorimetria

Alguns fatores são importantes para melhorar a prática da colorimetria capilar. A seguir citamos os mais importantes e básicos para qualquer procedimento que envolva essa prática.

  1. Conhecer bem a Estrela de Oswald.

  2. Reconhecer as cores e saber como fazer uma análise detalhada do tipo e nuance.

  3. Analisar os fios e mechas de forma específica para não errar na hora de fazer a mistura.

  4. Conhecer todas as regras da colorimetria para evitar um resultado indesejado.

  5. Reconhecer a possível necessidade da utilização de descolorante antes de usar uma tintura específica, dependendo da cor base da cliente, para obter um resultado mais uniforme, além de saber como realizar esse procedimento com o mínimo de danos.

Quais são os benefícios?

beneficios da colorimetria

É sabido tanto pelos profissionais quanto pelas clientes que a tendência da coloração é danificar os cabelos. Isso acontece pela presença da amônia na maioria das tintas e colorantes.

Um profissional bem preparado e terá elementos suficientes para indicar às clientes algum procedimento pré-coloração. O objetivo é blindar as madeixas dos cabelos para evitar os prejuízos causados pela ação da amônia.

Esse procedimento, além de aumentar a durabilidade da tintura, evita a queda dos cabelos, nutrindo e protegendo os fios de qualquer malefício que a coloração possa causar.

Além disso, a colorimetria capilar tem outros benefícios:

  • Diminui consideravelmente a chance de erros.

  • Conhecimento prévio dos resultados antes da aplicação da tintura.

  • Escolha certeira das cores, facilitando a chegada ao tom correto.

Qual é o objetivo?

objetivo-da-colorimetria

Se existe um lugar em que não se deve realizar testes cegos é no cabelo da cliente. O objetivo da colorimetria capilar é possibilitar o conhecimento sobre a matemática das cores. Somente assim é possível fazer cálculos exatos sobre o tom da tintura e sua reação ao entrar em contato com o cabelo.

Dessa forma, a única surpresa que todas devem ter é positiva e por conta da qualidade da tintura, não pela cor exótica que o cabelo adquiriu.

Por que a colorimetria capilar é uma tendência tão grande para os cabelos?

porque da colorimetria capilar

Vivemos numa era em que as tendências são muito dinâmicas e, normalmente, as mulheres gostam de fazer mudanças no cabelo, especialmente nas cores.

Ao procurar por uma tintura que agrade, elas analisam o tom da cor descrito na caixinha ou, ainda, olham apenas para a fotografia. A ocorrência de erros, nesses casos, é muito frequente.

A colorimetria capilar colaborará com os profissionais especialmente na hora de encontrar o tom certo para cada tipo de cabelo. Sabemos que, na prática, a cor da foto da caixinha ou da mecha de exemplo no catálogo da tintura raramente será a cor realmente obtida.

Isso, porém, é facilmente corrigido pela colorimetria capilar, porque a análise será feita a partir do tom (ou dos tons, caso haja mais de um, como é o caso de quem possui ombré hair ou luzes, por exemplo) real do cabelo da cliente e, com o auxílio da Estrela de Oswald, o profissional escolhe qual tom é o adequado para chegar ao resultado desejado.

Assim, com a leitura desse artigo e com a busca pelos conhecimentos aqui citados, é possível aprender sobre colorimetria capilar, encontrar os melhores produtos e aumentar a eficácia de cada procedimento.

Gostou do conteúdo? Deixe um comentário com suas dúvidas ou experiências com colorimetria capilar!

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedin
Você deve gostar também
cuidados-tratar-cabelos-loiros
Quais são os cuidados necessários ao tratar cabelos loiros?
Matizar_os_cabelos_por_que_e_como_fazer.jpg.jpeg
Matizar os cabelos: por que e como fazer?
como trabalhar com miracurl
Como trabalhar com miracurl e obter vários efeitos diferentes?
12 Comentários
  • maria joana pereira dos santos
    04/03/2017 em 21:57
    Responder

    gostaria de poder ter mas explicação sobre esta estrela , não consigo compreender . conheço os produtos linha de tratamentos . sou manicure e revendo seus produtos, tenho curso de cabeleireira mas não executo a profissão, por insegurança da tintura

    • Aneethun
      31/03/2017 em 09:17
      Responder

      Olá Maria, o ideal é que você faça uma oficina de colorimetria básica, assim você terá melhor entendimento de coloração e da estrela. À medida em que você for entendendo, poderá pesquisar mais sobre esse assunto para ir se aprofundando cada vez mais, até se tornar uma verdadeira especialista em colorimetria!

  • maria joana pereira dos santos
    04/03/2017 em 21:51
    Responder

    Difícil de compreender a estrela , não aplico tintura por ter muita insegurança , onde buscar mas estudo sobre este trabalho, conheço os produtos e vendo , sou manicure e tenho curso completo de cabeleireira mas por insegurança não executo a profissão .

    • Aneethun
      31/03/2017 em 10:51
      Responder

      Olá maria, o ideal é que você faça uma oficina de colorimetria básica, assim você terá melhor entendimento de coloração e da Estrela de Oswald e verá que não é esse bicho de sete cabeças que parece. Porém, se fossemos falar sobre ela aqui, seria uma longa conversa. Vamos postar mais artigos sobre esse tema aqui no blog em breve, fique atenta e continue nos acompanhando!

  • Delma Aparecida Aluizi cardoso
    24/01/2017 em 12:15
    Responder

    Adorei essa matéria,gostaria que me enviassem esse material e outros mais no meu email

    • Aneethun
      25/01/2017 em 15:30
      Responder

      Olá Delma, obrigado pelo seu comentário! Cadastre seu e-mail para receber nossas newsletters com novidades e conteúdos exclusivos da Aneethun.

  • 23/01/2017 em 09:06
    Responder

    maravilhoso o texto mas preciso estudar muito ainda. Mas eu chego lá.

    • Aneethun
      25/01/2017 em 15:54
      Responder

      Obrigado pelo seu comentários, Elza! Mantenha o foco, leia e pratique bastante a Colorimetria que o resultado virá com certeza! Sucesso!!!

  • luciano Lima
    21/01/2017 em 21:05
    Responder

    Muito legal, não tão fácil como parece… Nas propagandas tudo e fácil.

  • Licia Soares cunha
    21/01/2017 em 13:08
    Responder

    Depois de fazer luzes algumas vezes e selagem , perdir grande quantidade de cabelo , o que fazer para recuperar? Muito bom esses artigos …

    • Aneethun
      02/03/2017 em 16:44
      Responder

      Olá Licia, o ideal no momento seria você optar por manter apenas uma das duas químicas, pelo menos por um tempo, tratando o com a linha Age System, a plástica capilar que repõe os minerais, os nutrientes e as proteínas perdidas durante o processo de progressiva e no envelhecimento capilar, nutrindo e hidratando os fios.

  • 21/01/2017 em 07:13
    Responder

    Maravilhoso

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web