Saúde e Bem Estar

Saiba como cuidar do cabelo na gravidez

Ser mãe é algo incrível e, para muitas mulheres, é a realização de um sonho. Entretanto, o corpo muda bastante. Os hormônios ficam à flor da pele e o emocional passa por altos e baixos. Da mesma forma, a aparência merece atenção e cuidar do cabelo na gravidez pode ser uma tarefa difícil.

Mas não precisa se preocupar, pois é possível passar por essa linda fase e ainda ficar em dia com a beleza. Basta saber que cuidados tomar e seguir as dicas que preparamos neste verdadeiro guia sobre como deixar os cabelos bonitos e saudáveis durante a gestação.

Ficou interessada? Então, não deixe de conferir este post!

Principais mudanças que o cabelo sofre na gravidez

Durante a gestação a mulher passa por diversas alterações hormonais que, além de acarretar mudanças de humor e no sono, provocam transformações nos cabelos. Enquanto em algumas mulheres os fios ficam brilhosos e volumosos, em outras eles podem ficar ressecados e frágeis.

Normalmente, a gestação é benéfica para as madeixas. Entre as alterações hormonais comuns nesse período, está o aumento de estrogênio que faz os fios crescerem por mais tempo. Além disso, há também um maior número de andrógenos, que influencia no crescimento dos pelos.

De acordo com a dermatologista e diretora da Sociedade Brasileira de Dermatologia Regional de São Paulo, Flávia Addor, é normal que os cabelos cresçam mais durante a gestação não só por causa de variações hormonais, mas também devido ao aumento do metabolismo e da circulação.

Em contrapartida, é possível que algumas mulheres fiquem com os fios mais oleosos, fazendo com que eles se tornem quebradiços devido ao ressecamento causado pelo aumento de progesterona no corpo. 

Outra mudança que pode ocorrer durante a gestação é o encrespamento ou alisamento dos fios. Por essa razão, é preciso ficar de olho e trocar o xampu e o condicionador, de acordo com a nova estrutura capilar.

Dicas para manter a coloração em dia

Na gestação, a coloração é um assunto rodeado de dúvidas, principalmente no que se refere à segurança do bebê. Por esse motivo, mesmo não havendo comprovação científica de que a química presente nas colorações prejudique o feto, muitas mulheres acabam renunciando a elas.

Mas, a boa notícia é que dá para manter os cabelos bonitos. O que você deve fazer é substituir os procedimentos por outros que utilizam substâncias menos agressivas após o primeiro trimestre de gestação, quando a criança já passou pela fase de formação dos órgãos e tecidos.

Diante disto, as tinturas tradicionais — e qualquer produto químico — devem ser evitadas, para não oferecer riscos ao desenvolvimento da criança, pois o couro cabeludo é uma região bastante vascularizada e pode absorver substâncias como amônia, benzeno, formaldeído e outras. O uso de produtos que realcem a cor dos cabelos também se torna uma opção infalível para manter os fios coloridos sempre com as cores vivas e acesas, tratamentos antioxidantes combatem o desbotamento e blindam os pigmentos nas madeixas. A pitaya, que é um fruto exótico e antioxidante está presente nesses produtos que além de reacender as cores, não tem contraindicação.

Considerando essas informações, o melhor a se fazer é não arriscar e encontrar meios de manter a coloração em dia sem colocar o bebê em risco. A seguir, você confere algumas opções:

Hena

A hena é uma tintura extraída da planta Lawsonia Inermis Linné, ou seja, é uma opção natural para colorir os cabelos durante a gravidez. Apesar disso, ela possui algumas desvantagens: não garante a mesma durabilidade que as tinturas industrializadas e nem sempre é eficaz para cobrir fios brancos.

Contudo, quem optar pela hena deve ficar de olho na sua composição, já que algumas empresas acrescentam componentes de modo a aumentar a capacidade de coloração. O ideal é que o produto seja 100% natural.

Tonalizantes

Outra alternativa para substituir as tinturas é o uso de xampus tonalizantes, que são menos agressivos. Apesar da desvantagem de ter período de duração curto — até dez lavagens —, a maioria deles não possui amônia e, por isso, não oferecem riscos à gravidez. Mesmo quando esses produtos possuem essa substância, ela não é suficiente para oferecer riscos à gestação.

Ombré hair

O nome Ombré hair vem do francês e significa cabelo sombreado. A técnica está em alta, inclusive entre as gestantes que desejam manter a cor das madeixas em dia. Como não é necessário chegar com o descolorante na raiz e nem usar volumagem alta de agua oxigenada, o procedimento é menos agressivo, principalmente porque é aplicado da metade dos cabelos até as pontas.

Luzes

As luzes podem ser aplicadas após o primeiro trimestre, uma vez que não há contato com o couro cabeludo durante o processo. Mas lembre-se de que é preciso fugir dos produtos com amônia, que é a substância que oferece maior risco à criança.

Vale ressaltar que, devido ao forte cheiro liberado, é aconselhável fazer a aplicação em um local arejado para que o odor se dissipe no ar.

Tipos de química que devem ser evitadas

Alguns produtos possuem em sua composição substâncias que prejudicam o desenvolvimento do feto. Portanto, durante a gravidez é preciso cautela na hora de tratar os cabelos ou fazer aquela mudança no visual. Abaixo você confere os tipos de química que devem ser evitados.

Amônia

A amônia está presente nas tinturas permanentes, alisantes e outros produtos capilares para mulheres. Ela é altamente tóxica e, ao entrar em contato com o couro cabeludo, pode ser facilmente absorvida e causar danos ao bebê.

Ureia

Apesar de ser um dos ativos mais utilizados na composição de cosméticos, a ureia não pode ser usada por gestantes, seja em cremes para pele ou em produtos capilares. Inclusive, ela está presente em uma lista de proibições durante a gestação, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), juntamente da cânfora e do chumbo.

Formaldeído

Trata-se de uma substância altamente tóxica, irritativa e cancerígena. O maior risco está na inalação dos gases expelidos e do contato com a pele no momento da aplicação. Em vista disto, é perigoso tanto para quem aplica como para quem recebe o procedimento.

O formol pode causar problemas respiratórios e cardiovasculares. Ele também é responsável pelo baixo peso dos bebês ao nascer, má formação e outras anomalias. Em grandes concentrações, causa irritação nos olhos e mucosas. Outros problemas causados pelo formol são:

  • Dor de cabeça;
  • Vertigem;
  • Tosse;
  • Dermatite;
  • Falta de ar;
  • Ulcerações;
  • Rachaduras na pele;
  • Tumores.

Acetato de chumbo

O acetato de chumbo possui efeito cumulativo e está associado ao surgimento de alguns tumores cancerígenos como linfomas. Apesar de ser proibido no Brasil, infelizmente ainda pode ser encontrado em algumas colorações.

O que mais preocupa médicos e especialistas no assunto é a capacidade de contaminação do feto que essa substância possui, sobretudo durante a gestação e a amamentação. Isso acontece porque o chumbo fica alojado nos ossos da mãe e posteriormente entra na corrente sanguínea. Outras consequências graves são: atraso mental e prejuízo das funções cognitivas.

Hidróxidos

Os hidróxidos — de sódio, guanidina e lítio — estão presentes em diversos alisantes. Seus componentes podem causar irritações e lacerações na pele. Como a gravidez é uma fase de baixa imunidade, o contato com essas lesões pode evoluir para quadros mais graves.

Outros tipos de química que as gestantes devem abolir são:

  • Propilenoglicol;
  • Conservantes Parabenos;
  • Benzofenonas e derivados da cânfora.

Tratamentos indicados para grávidas

Agora que você conheceu os produtos inapropriados durante a gravidez, confira os tratamentos com substâncias seguras para a saúde da criança e da gestante. Mas fique atenta e não realize qualquer procedimento se houver histórico de reações alérgicas a algum componente desses produtos.

Máscaras capilares

São procedimentos que agem em poucos minutos e dispensam fontes de calor . Além do mais, possuem ativos como a micro-queratina, que são partículas bem pequenas com alto poder de penetração nos fios. Você pode usar máscaras de acordo com seu objetivo e tipo de cabelo.

Cabelos ressecados precisam de máscaras à base de algas vermelhas, vitamina E, macadâmia e óleo de camelina. Para madeixas que precisam de nutrição profunda, aposte nas máscaras à base de figo, D’pantetol, tutano, manteiga de pistache e aminoácidos vegetais. Quando o objetivo é a reconstrução dos fios danificados, prefira as composições que possuem quinoa e queratina.

Plástica capilar

Também conhecida como Queratinização, a plástica capilar foi criada pela indústria japonesa com o objetivo de tratar de forma profunda cabelos envelhecidos e danificados. A fibra capilar é composta de 85% de queratina, mas grande parte dessa substância se perde ao entrar em contato com fatores externos — vento, sol, ação do tempo etc. — sendo necessário fazer reposições regulares.

Trata-se de um procedimento seguro para as futuras mães devido à natureza dos princípios ativos presentes nele. Conheça alguns:

  • Pró-Vitamina B5;
  • Óleo de girassol;
  • Aminoácidos;
  • Ômega 3 e 6;
  • Queratina;
  • Argila branca.

Tratamento anti-quebra

Vários hábitos podem levar à quebra dos fios: uso frequente de secador muito quente, exposição solar, falta de hidratação etc. Os tratamentos anti-quebra foram desenvolvidos para reparar e dar vida nova aos fios e a boa notícia é que não há nenhuma proibição para as gestantes.

Elas podem, inclusive, fazer um cronograma capilar antiquebra, que age na estrutura dos cabelos nutrindo, hidratando, reconstruindo e blindando desde o exterior do fio até a camada mais profunda da fibra capilar.

Importância da hidratação

A hidratação é fundamental para a saúde dos cabelos em qualquer fase da vida. Durante a gravidez é preciso ter uma atenção especial, pois, além da exposição natural ao vento, ao sol, à chuva e aos produtos químicos, as gestantes ainda precisam lidar com alterações hormonais de todos os tipos.

A técnica reverte o ressecamento causado por esses fatores, restaurando o brilho do cabelo e permitindo que ele cresça de forma saudável. Como não é indicado o uso de tinturas e outros produtos químicos durante a gestação (principalmente no primeiro trimestre), o jeito é recorrer à hidratação e aos tratamentos menos agressivos.

Dessa maneira, é permitido abusar de máscaras e reconstruções capilares, principalmente se a grávida parou de usar coloração e deseja manter a cor do cabelo e deixá-lo com mais brilho.

Abaixo, você pode conferir alguns benefícios para não deixar a hidratação de lado:

  • Evita o ressecamento;
  • Aumenta a resistência dos fios;
  • Repõe a queratina — principal proteína do cabelo — e a água;
  • Evita a queda ocasionada pelo ressecamento;
  • Permite que o cabelo cresça naturalmente;
  • Deixa os fios bonitos e sedosos.

Cuidados diários com o cabelo durante a gestação

Você já viu que normalmente os cabelos ficam mais bonitos e volumosos durante a gravidez. Mas, isso não é motivo para deixar os cuidados de lado. Quanto mais você tratar bem seu corpo — e isso inclui os cabelos —, melhor.

Faça hidratações periódicas

É sempre importante hidratar os cabelos, mesmo que eles estejam com aparência saudável. E como as grávidas geralmente apresentam grande volume — já que os fios caem com menos frequência —, a exposição ao sol e outros fatores externos podem prejudicá-los.

A periodicidade das hidratações vai depender do tipo de cabelo e elas devem ser feitas mesmo que o cabelo esteja aparentemente saudável. Os mais danificados devem ser tratados semanalmente. Existem ótimas máscaras capilares com função de nutrir e reconstruir os cabelos.

Mantenha os cabelos limpos

Ficar muito tempo sem lavar os cabelos, além de prejudicar a aparência, pode causar danos à saúde deles. A oleosidade — que surge após alguns dias sem lavagem —, aumenta as chances de aparecer caspas e deixar o couro cabeludo propenso à descamação e obstrução dos poros, que interfere no crescimento natural dos fios

A frequência ideal de lavagem pode variar de acordo com a natureza do cabelo. Por exemplo, os mais oleosos tendem a sujar mais rápido, precisando lavar mais vezes. Já os cacheados, com tendência a ficar mais secos, podem ter maior intervalo entre as lavagens.

E, quando não for possível lavar devido à rotina corrida, não precisa se preocupar.  Para disfarçar, você pode usar xampu a seco, que é um spray cuja finalidade é absorver parte do óleo presente na raiz. Veja mais alguns truques para manter as madeixas limpas por mais tempo:

  • Compre xampus com ativos refrescantes;
  • Use xampu de limpeza profunda de vez em quando;
  • Passe condicionador apenas nas pontas;
  • Utilize as pontas dos dedos — e não as unhas — para massagear o couro cabeludo na hora do banho.

Use produtos indicados para seu tipo de cabelo

Existem cabelos de todos os tipos: oleosos, secos, mistos etc. Não é à toa que também existem linhas de produtos específicos para cada um deles. Desse modo, utilize xampu, condicionador e cremes de massagem desenvolvidos para seu tipo de cabelo.

Troque-os com certa frequência, dado que os fios se acostumam facilmente com os princípios ativos do produto, e acabam perdendo a eficácia. Principalmente no período gestacional, quando alterações na estrutura dos cabelos são bem comuns.

Saber seu tipo de cabelo é muito importante, pois com essa informação é possível tratá-lo adequadamente. Em caso de dúvidas, consulte a ajuda de um profissional para orientá-la melhor. E lembre-se que a gravidez pode alterar a estrutura capilar e cabelos que sempre foram oleosos podem se apresentar secos e vice-versa.

Prefira secador com jato de ar frio

O secador e a chapinha são permitidos para gestantes, mas usar ar muito quente nos cabelos pode causar danos como ressecamento, falta de brilho e queda. Por esse motivo, a melhor opção é usar secador com jato de ar frio, ou se você não abre mão do ar quente, mantenha uma distância de, pelo menos, quinze minutos.

Não esqueça também de aplicar produtos de proteção antes de usar esses aparelhos, como leave-in — creme sem enxágue que auxilia na redução do frizz — e reparador de pontas de silicone.

Corte regularmente

Cortar os cabelos periodicamente faz com que os fios cresçam fortes e saudáveis. Além disso, ajuda a retirar pontas duplas e queimadas pelo sol ou por aparelhos como chapinhas e secadores. Como um fio normal cresce em média 1 cm por mês, o ideal é cortá-los a cada 3 meses para retirar as pontas secas e evitar que as madeixas fiquem sem corte definido.

Posto isto, escolha um corte que você gosta — e que se encaixe bem no seu rosto — e use a tesoura de tempos em tempos.

Use cremes de tratamento noturno

Eles são ótimos para nutrir e hidratar os fios, recuperando aqueles opacos e ressecados. Existem diversos cremes de tratamento noturno, mas o ideal é escolher aqueles com princípios ativos específicos para seu tipo de cabelo. A grande vantagem desses cremes é que eles não precisam de enxágue. É só levantar pela manhã e esperar pelos benefícios.

Proteja os fios do sol

Expor os cabelos muito tempo ao sol pode deixá-los ressecados. Além do mais, aumenta a oleosidade que favorece o aparecimento de caspas, dando um aspecto sujo e descuidado. Na gestação — quando é comum as mulheres apresentarem maior volume de cabelos — é preciso todo cuidado para deixá-los limpos e hidratados.

Outra dica para proteger as madeixas do sol, é o uso de produtos com protetor solar. Eles criam uma barreira que impede que os raios UV atinjam o couro cabeludo, danificando a fibra capilar e reduzindo a força e o brilho. Eles também são responsáveis pela perda da cor.

Cuide da alimentação

O que você come influencia de forma positiva ou negativa na saúde dos seus cabelos. Portanto, inclua no cardápio alimentos ricos em cobre, zinco, ferro, vitamina B12, iodo, proteínas e minerais. Entre outros benefícios, esses nutrientes ajudam a:

  • Estimular o crescimento;
  • Fortalecer os fios;
  • Evitar a queda;
  • Hidratar e dar brilho.

Da mesma forma, alguns alimentos prejudicam a saúde dos cabelos, deixando-os sem vida, secos e quebradiços. Alguns exemplos que podemos citar são: enlatados, embutidos, sal, açúcar, refrigerantes e álcool.

Problemas pós-parto

 

Ao longo do texto você descobriu que durante o período gestacional os cabelos tendem a ficar mais bonitos e volumosos. Mas, e depois do parto? Infelizmente, a queda de cabelo é bem comum depois do nascimento do bebê, devido à diminuição de estrogênio, fazendo com que os fios entre na fase de queda.

O ciclo de crescimento dos cabelos se apresentam em três fases: crescimento, estabilização e queda. No entanto, devido às alterações hormonais comuns na gestação, o período de estabilização se prolonga, ou seja, os fios não entram na fase de queda.

Enquanto uma mulher que não está grávida perde entre 100 e 125 fios por dia, a recém-mamãe experimenta uma queda de até 500 fios por dia. Parece assustador, não é mesmo?

Normalmente esse processo dura de quatro a seis meses após o parto. Então, não precisa entrar em pânico. O importante é manter a calma e não deixar os cuidados diários de lado, afinal, outros fatores também podem contribuir para a queda de cabelo — estresse, noites mal dormidas, deficiências nutricionais etc.

Dicas para controlar a queda de cabelo no pós-parto

Não há fórmula mágica para cessar a queda de cabelo. No entanto, algumas técnicas são fundamentais para que esse processo não seja tão assustador. A primeira dica é ter em mente que é uma situação temporária. Em alguns meses os cabelos voltam a seguir as fases de crescimento.

A segunda dica é adotar hábitos alimentares saudáveis e consumir alimentos ricos em nutrientes que favorecem a saúde dos cabelos — carnes, figo, leite, ovos, óleo de linhaça, soja, pepino, frutos do mar, castanhas, nozes, sementes de girassol, entre outros.

Outra dica que merece destaque é não lavar os cabelos todos os dias. Como a queda é significativa, quanto mais você mexer nos fios, mas eles vão cair. No banho, use xampu e Bálsamo Condicionante, anti-queda, liberados pelo seu médico.

Por fim, dê um tempo nas tinturas, alisamentos e outros procedimentos à base de produtos químicos. Da mesma forma, evite o uso de chapinhas e secadores em excesso, já que é nessa hora que o cabelo costuma cair mais.

Como o estresse é um fator que influencia na perda dos fios, faça atividades relaxantes como meditação e alongamentos. E tente manter o peso ideal, pois uns quilinhos a mais contribuem para o desequilíbrio hormonal. Como você pode notar ao longo do texto, os cabelos passam por muitas transformações durante e depois da gestação. São processos naturais, mas que não dispensam cuidados diários e muito menos comprometem a aparência. Entretanto, devem ser observados com cautela para não oferecer riscos à saúde da criança e da mulher.

Esperamos que nosso post ajude muitas futuras mamães! Assine nossa News letter, visite nosso site e fique por dentro de mais conteúdo profissional.

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedin
Você deve gostar também
Como acabar com o frizz do meu cabelo? Vem ver essas dicas!
9 dicas de como cuidar dos cabelos no inverno
Saiba como cuidar de cabelos lisos e alisados

Deixe seu comentário

Seu comentário*

Seu nome*
Sua página da Web