Dia da Mulher: 5 pioneiras que inovaram na área da beleza

Imagem conceito para o Dia da Mulher, com fundo rosa e o desenho de três mãos. A primeira com o punho fechado, a segunda com apenas dois dedos erguidos, simbolizando o V e a terceira segurando o galho de uma flor

O Dia da Mulher é uma data que traz muitas celebrações junto ao público feminino, mas também proporciona uma importante reflexão sobre as lutas e conquistas que as mulheres protagonizaram na história.

Na área da beleza, por exemplo, muitas mulheres foram visionárias e transformaram o segmento com sua competência, criatividade e pioneirismo. Além dos procedimentos, produtos e conhecimento estético que elas deixaram como legado, também é preciso valorizar a sua voz!

Sim, a iniciativa destas mulheres funcionou como referência para outras, mostrando a força de vontade, determinação e coragem. Afinal, quem fala inspira, quem fala encoraja.

Dia da Mulher: mulheres transformadoras

Aproveite este Dia da Mulher para conhecer algumas mulheres empreendedoras que inovaram no ramo.

Madam C. J. Walker

Nascida Sarah Breedlove, posteriormente conhecida como Madam C. J. Walker, era filha de um casal de escravos nos Estados Unidos, que viu seus cabelos caírem por infecções no couro cabeludo causadas pela falta de condições básicas de higiene. Ela notou que isso também aconteceu com outras mulheres negras e resolveu buscar solução.

Após trabalhar em uma barbearia e estudar sobre o assunto, Sarah criou o primeiro shampoo e a primeira pomada para cabelos afro do mundo. Estes produtos estimulavam o crescimento dos fios e protegiam a raiz dos cabelos.

Com o sucesso dos cosméticos, Sarah, que mudou seu nome para Madam C. J. Walker, criou um sistema de vendas porta a porta e, anos depois, uma metodologia de treinamento para que outras mulheres pudessem comercializar seus produtos da mesma forma. O formato fez com que seus negócios se expandissem por todo os Estados Unidos e, consequentemente, em países da América Latina. Por isso, ela é considerada uma das precursoras da profissão das consultoras de beleza e primeira mulher americana a tornar-se milionária por meio de seu próprio trabalho.

Uma mulher negra mexe no cabelo, enquanto se olha no espelho neste Dia da Mulher

Helena Rubinstein

A polonesa Helena Rubinstein aprendeu com sua mãe a cuidar da pele. Quando mudou-se para a Austrália, aos 24 anos, fez o maior sucesso em função de sua pele viçosa e sem manchas, diferentemente das australianas que sofriam com os efeitos do sol.

Helena viu ali uma oportunidade de empreender, e passou a comercializar os produtos da Europa que utilizava. As vendas eram tantas que a “importação” passou a não dar conta da demanda. Ela então conseguiu um trabalho em uma farmácia e aprendeu a desenvolver seus próprios cosméticos, batizados de Valaze. Hidratantes, loções adstringentes e cremes para limpeza passaram a ser vendidos em mercados e farmácias.

Madame, como gostava de ser chamada, expandiu seus negócios por toda a Oceania até chegar à Inglaterra, França e Estados Unidos.

Além disso, seu legado também conta com o desenvolvimento de uma linha e um salão exclusivo para homens, entre as décadas de 1940 e 1950, e o pioneirismo em investir no conceito de spa e em cosméticos e programas de ginástica emagrecedora.

Uma mulher branca, de olhos fechados, passa uma espuma branca com as duas mãos no rosto

Elizabeth Arden

A canadense Elizabeth Arden se formou em enfermagem e tinha interesse por cremes para queimaduras. Aos 30 anos foi para Nova York, onde conheceu um químico que a ajudou a elaborar a receita do creme perfeito. Logo, ela conseguiu um trabalho em um salão de beleza e atuou como assistente da esteticista Eleanor Adair por dois anos. Em 1910, Elizabeth fundou seu primeiro salão na tradicional Quinta Avenida.

Com o tempo, seu salão passou a ser o “queridinho” da alta sociedade nova-iorquina, com um novo protocolo de limpeza, tonificação e hidratação da pele antes da maquiagem, além das massagens relaxantes e rejuvenescedoras que, posteriormente, conquistou fãs em todo o mundo.

Outra inovação proposta por Elizabeth foi a democratização dos cosméticos com a criação de kits para spa em casa e a prática da maquiagem, com os passos do pó, o blush (até então conhecido como rouge), e a pintura dos olhos.

A visionária também atuava com ações para impulsionar o empoderamento feminino. Em 1912, criou um batom vermelho que simbolizava a sororidade e marchou ao lado de 15 mil mulheres reivindicando o direito ao voto feminino nos Estados Unidos.

Uma mulher passa batom vermelho nos lábios

Anne Marie Klotz

A francesa Anne Marie Klotz trouxe para todo o Brasil seu conhecimento em estética e é considerada a primeira profissional do segmento do país por mesclar o conhecimento adquirido na Europa com sua própria forma de trabalho.

Anne Marie criou uma das primeiras linhas de cosméticos nacionais, ajudou a estruturar a primeira fábrica de equipamentos estéticos do país e fundou a Federação Brasileira de Estética e Cosmetologia.

Janine Goossens

Conterrânea de Anne, Janine Goossens chegou ao Brasil para trabalhar como esteticista em um salão de beleza de São Paulo. Até a década de 1960, a profissão era raríssima no país e, por isso, ela começou a se destacar realizando serviços diferentes.

Janine trouxe de Paris a expertise da maquiagem profissional, utilizando técnicas e produtos que hoje são básicos para o procedimento. Além disso, foi uma das pioneiras a realizar protocolos de atendimentos estéticos, com metodologias de aplicação.

Ela, ao lado de um amigo, criou um salão que se tornaria a maior e mais tradicional rede de salões de beleza do Brasil: o Jacques & Janine.

Mulheres podem fazer o que quiser

Após conhecer um pouco da história dessas mulheres inspiradoras, é possível reconhecer sua luta por igualdade.

Em todos os segmentos da sociedade, são poucas as mulheres que ocupam papéis de destaque. Por isso, elas e tantas outras precisaram mostrar a sua força, seu poder transformador, para mudar antigos conceitos e conquistar os seus devidos espaços.

A visão do empreendedorismo, bem como a solidariedade com as demais mulheres, resultou na construção e no desenvolvimento da sociedade como é hoje, e inspira mulheres a encontrarem em suas dificuldades, as oportunidades para transformarem suas vidas.

Compartilhe nas suas redes sociais